Mega ação contra facções tem 4 presos na região

Operação nacional do Gaeco prende em Americana e SB acusados de ligação com PCC

Uma ação de âmbito nacional, articulada pelo Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC) – colegiado que reúne os Gaecos (Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de todo o país – realizou ontem operações em 14 Estados e no Distrito Federal.

Dezenas de promotores de Justiça, com a ajuda de forças policiais, cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão contra integrantes de seis facções criminosas que atuam em diferentes regiões do País. Quatro pessoas acusadas de serem integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) foram presas em Americana e em Santa Bárbara d’Oeste. Um alvo de Hortolândia estaria foragido.

Em Americana foram presos K. T. N e D.H.N.S. De acordo com a PM (Polícia Militar), ambos têm passagem por tráfico de drogas e organização criminosa.

Em Santa Bárbara d’Oeste, foram presos E.C. e R.A.A., o primeiro tem passagem por tráfico de drogas e o segundo três passagens por roubo.

No Estado de São Paulo, o Gaeco saiu às ruas para cumprir 59 mandados de prisão e 10 de busca e apreensão contra integrantes do PCC. Ao todo, 55 pessoas foram presas e quatro permanecem foragidas.

Além de Americana, Santa Bárbara e Hortolândia, as ações aconteceram em Arujá, Cerquilho, Guarulhos, Jaboticabal, Limeira, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Ribeirão Preto e Rio das Pedras, com o apoio das Polícias Militar e Civil.

As operações aconteceram, simultaneamente, nos Estados do Acre, Alagoas, Espírito Santo, Paraíba, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins e Distrito Federal.

O Ministério Público nos Estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul também realizam realizaram diligências e prisões.

Segundo o MP, o objetivo principal dessa atividade integrada era prender integrantes das facções criminosas PCC, Comando Vermelho (CV), Terceiro Comando Puro (TCP), Amigo dos Amigos (ADA), Primeiro Comando de Vitória (PCV) e Okaida RB.

Ao todo, no Brasil todo foram 266 mandados de prisão e 200 de busca e apreensão.

Em Tocantins, foi feita uma inspeção na Casa de Prisão Provisória de Palmas para apreender armas, drogas, explosivos, aparelhos de comunicação móvel e cadastros dos integrantes das facções.

No total foram cumpridos 200 mandados de prisão dos 266 que haviam sido expedidos. Outras três pessoas foram presas em flagrante no Estado do Espírito Santo.

Até o fechamento dessa reportagem, 66 investigados estavam foragidos, e as diligências continuavam sendo realizadas.

“O Ministério Público brasileiro, por meio do GNCOC e dos Gaecos, vem adotando medidas eficientes no desmantelamento e prisão dos principais líderes das facções criminosas presentes em território nacional. É uma luta baseada na inteligência e com foco na desestruturação desses organismos criminosos violentos. Vamos vencer, tenho certeza disso”, declarou Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, procurador-geral de justiça de Alagoas e coordenador do Grupo Nacional.

 

 

Pin It on Pinterest

Share This