quarta-feira, 28 fevereiro 2024

Número de inadimplentes na região cresce 16% durante a pandemia

Levantamento realizado pelo Serasa mostra que a quantidade de pessoas nessa situação saltou de 293 mil para 340 mil, durante três anos, em cinco cidades da região 

Foto: Serasa

O Serasa divulgou um mapa de dezembro sobre a inadimplência e negociação de dívidas no Brasil e o número de endividados em Americana e região saltou de 293 mil, em 2020, para 340 mil, em 2022.
Uma alta de 16% nos últimos três anos de período pandêmico. Os dados abrangem as cidades de Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste, Sumaré e Hortolândia.

Americana, por exemplo, tinha 67.231 inadimplentes em dezembro de 2020. Este número permaneceu o mesmo em 2021. Entretanto, chegou à marca de 72.791 em dezembro de 2022, ou seja, uma alta de 8,26%.
Em comparação com as outras cidades, Americana é a cidade onde o crescimento foi menor. Sumaré é a cidade onde a população mais se endividou, com um crescimento de 22%. Eram 87.305 em 2020 e passou para 106.571 em 2022. Seguida de Nova Odessa, com um aumento de 19,84%, Hortolândia (19,24%), Santa Bárbara d’Oeste (10,78%).
Hugo Pacheco, administrador e sócio da Pacheco Consultores, elencou quatro motivos sobre esse aumento de inadimplência: inflação, facilidade de crédito, falta de educação econômica e crise de emprego generalizada.
O especialista também dá três dicas de como sair da inadimplência: controlar os gastos periodicamente, fazer ajustes financeiros, negociação das dívidas, planejamento familiar e manter o hábito de gastar menos do que se ganha.
“É simples, mas não é fácil. Tudo o que envolve disciplina e constância não é fácil. O primeiro passo é começar a registrar as contas, praticar o exercício de educação financeira dentro do ambiente doméstico, com toda a família, e buscar orientações”, comentou Hugo Pacheco.

Confira a entrevista na íntegra: 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também