sexta-feira, 14 junho 2024

Radares fixos voltam em um mês, afirma prefeito de Santa Bárbara

Os radares fixos voltarão a funcionar em Santa Bárbara d’Oeste entre o final de fevereiro e o início de março. O anúncio foi feito ontem pelo prefeito Denis Andia (PV). Os equipamentos estão sendo instalados pela empresa Perkons, que venceu a licitação com vigência de um ano por R$ 1,8 milhão após uma batalha judicial. Em fevereiro completam-se dois anos que a cidade está sem monitoramento. 

Andia garantiu que só serão instalados radares fixos na cidade. “É importante ressaltar que em 2013, quando assumi a prefeitura, eu eliminei todos os radares móveis que a cidade tinha. Sempre teve radar móvel. No dia 18 de janeiro de 2013 eu falei: aqui, radar móvel não, porque é um tipo de abordagem diferente desses radares fixos”, afirmou Andia. 

Com esta retomada da fiscalização eletrônica, a prefeitura vai reforçar a sinalização dos pontos monitorados. 

“Todos os radares que a gente está implantando aqui e que já existia até pouco tempo vão ser devidamente sinalizados e implantados nas avenidas que realmente têm um histórico maior de acidentes, de abuso por parte de alguns motoristas, sempre no sentido de trazer segurança para o motorista e para o pedestre. Santa Bárbara tornou-se uma cidade com mobilidade bastante complexa e é importante ter instrumentos como esse para controlar e orientar as pessoas”, afirmou o prefeito. 

Estão sendo instalados 26 equipamentos em 16 pontos da cidade, mas os locais não foram divulgados pela prefeitura. Anteriormente, a prefeitura havia informado que alguns equipamentos seriam instalados nas avenidas de maior movimento, como Santa Bárbara, Bandeirantes e São Paulo. 

DISPUTA 

A DCT Tecnologia venceu concorrência pública para monitoramento por radar por R$ 1,352 milhão, mas foi desclassificada porque não dispunha dos atestados de capacidade técnica exigidos no processo – documentos de outros órgãos, atestando prestação de serviço igual em período anterior. 

Houve uma batalha judicial que se arrastou de março a novembro do ano passado. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também