segunda-feira, 22 julho 2024

Santa Bárbara tem 2º menor índice de desemprego da região

Levantamento aponta que município registra índice de 2,43% da PEA (População Economicamente Ativa) desocupada

Santa Bárbara | Menor índice de desemprego entre as cidades da região, diz Caged (Foto: Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste/ Divulgação)

Quando comparada com Americana, Hortolândia, Nova Odessa e Sumaré, a cidade de Santa Bárbara d’Oeste apresenta a menor taxa de desemprego da região: 2,43%, o equivalente a 3.311 pessoas fora dos mercados formal e informal de trabalho.

Entre as 20 cidades RMC (Região Metropolitana de Campinas), Santa Bárbara fica atrás apenas de Artur Nogueira, com 2,01% da população sem ocupação (559 pessoas).

Os números fazem parte da estimativa do Índice de Desemprego na RMC, divulgado pela Acic (Associação Comercial de Campinas), com base nos dados do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego, que mede as vagas com carteira assinada, e são referentes ao mês de setembro.

Santa Bárbara possuía 133.042 trabalhadores em vagas formais (45.892) e informais (81.150).

Para o presidente da Acisb (Associação Comercial e Industrial de Santa Bárbara d’Oeste), João Batista de Paula Rodrigues, os números são resultado do reaquecimento econômico pelo qual a cidade vem passado desde o relaxamento dos protocolos de segurança impostos pela pandemia de Covid-19 e pelo avanço da imunização contra a doença.

“A maioria das lojas voltou a funcionar no horário normal e tivemos a chegada de novos empreendimentos. Esses números refletem uma retomada do comércio e serviços, além das contratações para o final do ano que, tradicionalmente, aumentam”, diz.

Para ele, o desempenho nas vendas funcionará como um termômetro para a efetivação de funcionários que venham a ser contratados para vagas temporárias neste e no próximo mês. “Os empresários se sentiram seguros para contratar”, completa.

MAIOR TAXA
Nova Odessa, por sua vez, é a cidade que apresenta a maior taxa de desempregados se comparada com as vizinhas.
Em setembro, 12,01% da população economicamente ativa da cidade não estava trabalhando, o que representa 5.205 desempregados.

Ao todo a cidade registrou em setembro 38.134 mil trabalhadores em postos formais (19.598) e informais (18,536).

Na RMC, é o quarto pior índice, atrás de Paulínia (12,81%), Jaguariúna (13,29%) e Valinhos (21,88%).

Questionada, a Prefeitura destaca por meio de nota que a economia local tem reagido com excelentes resultados”. “No mesmo mês do levantamento, a cidade obteve o segundo melhor resultado na geração de novas vagas, apresentando saldo positivo”, ressalta.

“Os números do Caged seguem promissores para Nova Odessa. No mês de setembro, tivemos 1.128 contratações contra 847 demissões, o que resultou em um saldo positivo de 281 novas vagas de emprego. Neste ano de 2021, já foram geradas 1.913 novas vagas. A economia de Nova Odessa está conseguindo absorver o número de mão de obra de maneira bem eficiente”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico e Social do município, Samuel Marin.

O índice de desemprego de Americana atingiu a marca de 7,70%, com 12,563 desempregados, enquanto Hortolândia registrou 6,02%, com 9.107 pessoas sem ocupação, e Sumaré 3,04%, o que representa 5.621 trabalhadores fora do mercado. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também