quinta-feira, 18 julho 2024

Vacinação de secretário gera polêmica

A vacinação contra a Covid-19 do secretário de saúde de Nova Odessa, Dr. Nivaldo Luis Rodrigues, causou polêmica ontem na Câmara. O nome dele consta na lista de pessoas vacinadas no município, mas na análise do vereador Wagner Moraes (PSDB), ele “furou fila” por não pertencer à faixa etária da vacinação e, mesmo sendo médico, não estar na linha de frente do atendimento a pacientes com Covid. A prefeitura defende que ele poderia ter sido vacinado como profissional de saúde por estar visitando as unidades que atendem pacientes.

Aos 63 anos, Dr. Nivaldo, que é médico, foi vacinado na primeira semana da campanha de imunização – quando profissionais de saúde eram o público-alvo além de idosos com 90 anos ou mais.

Na lista da vacinação, porém, ele consta como “idoso”, e não como “profissional da saúde”. A lista revela também a data do recebimento da segunda dose da vacina, em fevereiro. Nesse ponto, Dr. Nivaldo já aparece como “profissional da saúde”.

A lista de vacinados foi divulgada no site da prefeitura ontem, em atendimento a lei municipal. Na sessão da Câmara, o vereador Wagner Moraes usou a tribuna para criticar o fato de Nivaldo ter sido vacinado, e disse que deve dar andamento na denúncia do caso.

“Primeiro dia de vacinação na cidade, sabe quem está lá (na lista)? Nivaldo Luis Rodrigues. Esta lá como idosos. A primeira classe de vacinados era acima de 80 anos, e o cidadão está na lista lá como idoso. Ele tem 63 anos de idade. E a pessoa que perdeu a vaga por causa dele, será que morreu ou não? E ele já tomou a segunda dose, dia 17 de fevereiro, mas já não está como idoso, está como trabalhador de saúde. É uma pouca vergonha, está tomando vaga de gente que pode estar internado ou morrendo. Vão falar ‘mas ele é médico’. Ele é secretário, gestor administrativo, não está na linha de frente. Isso é chamar o cidadão de trouxa, isso é furar fila”, disse Moraes na sessão.

Mais tarde, ao TODODIA, o vereador disse que estava estudando maneiras de dar andamento à denúncia do caso. “O estudo já indica para uma representação ao Ministério Público. Mas ainda aguardo providências e retorno do Executivo para finalizar. Queremos a lei atendida, culpados punidos, e povo respeitado”, afirmou.

Conforme lei estadual que entrou em vigor no dia 13 de fevereiro – citada pelo vereador na Câmara -, aplicar ou receber a vacina contra a Covid-19 antes da faixa etária ou grupo de risco determinado pelo estado pode render multa de R$ 49 mil se a pessoa que receber a vacina for um cidadão comum ou R$ 98 mil se o vacinado for agente público, que é o caso de secretários municipais, por exemplo.

LINHA DE FRENTE

Em nota, a Prefeitura de Nova Odessa defendeu que Dr. Nivaldo foi vacinado como profissional da linha de frente do combate à pandemia.

“Ele é responsável na cidade pelo enfrentamento da pandemia de Covid-19 e visita diariamente não apenas a UR (Unidade Respiratória) do Jardim Alvorada, como o restante da rede municipal, sujeitando-se a risco constante de contaminação pelo vírus”, argumentou o Executivo.

Sobre o fato de ele ter sido classificado como “idoso”, a prefeitura informou que houve um “aparente erro de digitação dos dados do profissional”.

“Lembramos que tal digitação é feita posteriormente e manualmente. Se for realmente o caso, o equívoco de digitação será corrigido e Nivaldo vai ser incluído no grupo adequado à sua situação – de profissionais da Saúde que atuam na linha de frente da pandemia, ajudando diariamente a salvar vidas na nossa cidade”, finalizou a nota.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também