PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Polícia apreende 1 tonelada de peças levadas de cemitério

Objetos de bronze e cobre, além de fios, foram furtados em Campinas

A Polícia Civil deflagrou ontem em Campinas a “Operação Thanatos” (“Morte”, em grego)para cumprir sete mandados judiciais que resultaram na apreensão de aproximadamente uma tonelada em peças de cobre e de bronze, além de fios de telefonia, produtos de furtos ocorridos em túmulos do Cemitério da Saudade, um dos principais da cidade.

PUBLICIDADE

Um homem foi preso em flagrante por receptação qualificada, outros três foram detidos para depoimentos, além de um carro ter sido apreendido por estar com sinais de identificação adulterados.

Os mandatos foram cumpridos em estabelecimentos que vendem ferro-velho e nas casas de suspeitos, além das dependências do próprio cemitério, onde foram apreendidos, em armários internos, munições de calibre 380 e 38.

PUBLICIDADE

Ao menos um guarda civil municipal, que seria dono de um dos comércios de sucata, é investigado no caso, juntamente com seu filho e um empresário.

A operação é resultado de investigação iniciada em março pela equipe do 5º DP (Distrito Policial) de Campinas, sob o comando do delegado Sandro Jonasson, para apurar o suposto envolvimento de servidores públicos da Setec (Serviços Técnicos Gerais) e da GM (Guarda Municipal) em furtos de peças de bronze no cemitério.

PUBLICIDADE

Houve cumprimento de mandado de busca também em Piracicaba, onde farto material furtado do cemitério de Campinas estava em uma fundição de metais.

Um dos comércios, segundo a Polícia, localizado no Distrito do Campo Grande, em Campinas, pertence à família do guarda municipal, que é investigado desde março e estava respondendo a uma sindicância pelo caso na Corregedoria da corporação.

QUATRO DETIDOS

Ontem, ao menos quatro pessoas, entre as quais o guarda suspeito de receptação e um filho dele, foram conduzidas ao 5º DP para prestar depoimentos.

Além de peças em metal furtadas do cemitério, a Polícia Civil apreendeu peças de automóveis de procedência suspeita.

Em nota, a Prefeitura de Campinas informou que a sindicância em relação ao guarda municipal está em andamento e os fatos novos que teriam surgido ontem serão anexados ao processo, se for o caso.

A previsão é de que em duas semanas, em média, o processo esteja concluído, mas por tratar-se de sindicância, é um processo sigiloso e resultados são comunicados apenas ao investigado e ao órgão ao qual ele responde, no caso, a Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública.

 

 

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This