Tite diz ‘não’ para Bolsonaro

Treinador da seleção brasileira contraria vontade da CBF e nega encontro com o presidente eleito do País

A CBF faz de tudo para se aproximar de Jair Bolsonaro. Já Tite quer distância do presidente eleito.

Ao ser questionado se aceitaria encontrar o politico em solenidade oficial antes ou depois da Copa América, o treinador foi direto.

“Não. Eu continuo com a mesma opinião. A minha atividade não se mistura e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura. Não.”, afirmou Tite.

Antes da Copa da Rússia, o treinador já havia quebrado uma tradição na seleção brasileira, que rotineiramente encontrava o presidente antes de embarcar para o Mundial.

Desta vez, Tite se recusou levar os atletas para estarem com o presidente Michel Temer em Brasília.
A Copa América será disputa em junho no Brasil em cinco cidades. Depois da derrota na Rússia, o treinador precisa do titulo do torneio para se manter no cargo.

No domingo, a CBF convidou Bolsonaro para entregar a taça de campeão do Brasileiro ao Palmeiras.

Pivô de uma série de escândalos de corrupção nos últimos anos, a entidade ainda não conseguiu estreitar laços com o novo governo. Os cartolas da confederação chegaram cedo ao estádio e aguardaram no camarote do clube o encontro.
Tite se recusou a comentar sobre a participação de Bolsonaro na entrega do troféu no domingo.

“Tenho opinião, mas não quero opinar, não devo opinar. Sei da minha posição, não quero”, disse o treinador da seleção.
“Não misturar enquanto esporte, que é um meio que viabiliza princípios e tal, é uma série de outra escala de valores éticos, morais, competitivos. Então, da minha parte, não. Do outro lado, respeito”, acrescentou.

Com seus três ex-presidentes envolvidos em denúncias de corrupção -Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero-, a CBF tentam-se blindar de uma futura investigação do novo governo.

Teixeira, Marin e Del Nero foram acusados pelo FBI de receber propinas de contratos de TV e da seleção.

Nesta terça, Tite participou da abertura do curso de formação de treinadores (licença pro) organizado pela CBF. Como aluno, ele assistiu aula junto de Mano Menezes e Dunga, que também comandaram o time nacional.

O corpo docente conta com profissionais como Paulo Roberto Falcão, Reinaldo Rueda, Carlos Alberto Parreira

Pin It on Pinterest

Share This