sábado, 20 abril 2024
Crime desvendado

Como a Polícia Civil encontrou o casal que matou o professor de Sumaré?

Eles foram presos na tarde desta sexta-feira (4) pela DIG de Americana
Por
Por Henrique Fernandes
Foto: DIG Americana

Foram mais de 48 horas de trabalho intenso e ininterrupto em busca do tatuador Wesley Carrera dos Santos, de 34 anos, e sua namorada, Paloma Fernanda dos Santos Aguiar, de 30 anos. O tatuador confessou friamente que matou o professor de Sumaré Cauê Pozenatto Lima, de 35 anos, brutalmente assassinado e carbozinado, “sem demonstrar qualquer tipo de arrependimento”.

Imagens de câmeras de segurança mostraram o momento em que ele abandonava o carro, limpava as maçanetas e saia do local com uma sacola. Seguindo o trajeto do suspeito foi possível obter sua imagem e chegar até a residência do casal, no bairro Parque Residencal Salerno, em Sumaré.

O tatuador foi abordado quando saiu de sua casa. “Em seus bolsos foram localizados documentos cortados, cartões bancários e cartão alimentação em nome da vítima”, informou a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Americana.

Imagens da vizinhança mostraram quando o veículo do professor, um Chevrolet Ônix branco, parou em frente a casa, na última quarta-feira (2), quando o corpo de Cauê foi encontrado na região da Praia Azul.

Registrou também quando o casal embarcou no carro uma hora antes de abandonar o corpo e o retorno deles para o imóvel após o crime. Além da retirada do veículo para a mesma Avenida onde o carro foi localizado pela Polícia Civil.

O casal foi preso temporariamente na tarde desta sexta-feira (4). Ele foi recolhido à Cadeia Pública de Sumaré e ela encaminhada à Cadeia Pública Feminina de Monte Mor.

Foto: DIG Americana
Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também