PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Instituto de Criminalística de Americana passará a ser núcleo de perícias

Com investimento em equipamentos e peritos, cidade será responsável por laudos de 154 delegacias

O Governo do Estado investiu R$ 1,8 milhão para transformar o IC (Instituto de Criminalística) de Americana em um Núcleo de Perícias Criminalísticas, que passará, em até 45 dias, a ser responsável pela elaboração de laudos de 154 delegacias das seccionais de Americana, Limeira, Rio Claro, São João da Boa Vista e Piracicaba. 

PUBLICIDADE

Com isso, o número de peritos saltou de 16 para 26 e de funcionários, de 27 para 44. Equipamentos também foram comprados. 

Com o reforço da equipe, e a nova aparelhagem, as perícias serão agilizadas. O IC atendia apenas as nove cidades abrangidas pela Seccional de Americana. 

PUBLICIDADE

A informação foi transmitida pela diretora do novo núcleo, Angela Sampaio de Mara, ao prefeito Omar Najar (MDB), em reunião ontem no final da tarde, no gabinete. A delegada seccional Martha Rocha e o delegado José Luiz Joveli acompanharam a nova diretora. 

Segundo a diretora, Americana recebeu equipamentos de última geração. Entre eles está o comparador balístico, que permite informar qual a trajetória de uma bala disparada. 

PUBLICIDADE

Outro equipamento sofisticado é o cromatógrafo gasoso, que faz análise de drogas e deve chegar ao município na metade de março.  Haverá aperfeiçoamento da análise dos entorpecentes porque o novo aparelho abre um leque de possibilidades, como análise de solventes e comprimidos. 

Segundo a diretora, exames que demoravam até 30 dias para processamento, porque iam para Campinas ou São Paulo, agora terão o resultado pronto em seis horas no máximo. A próxima fase é o envio de viaturas. 

A diretora ressaltou que esta é uma evolução para Americana e região. Agora, o núcleo é independente de São Paulo e Campinas. 

“É uma grande evolução. Vai ter celeridade maior e vai ter contato maior. Podemos dar resposta mais rápida, efetiva e direta”, ressaltou a diretora. 

SEDE PRÓPRIA E ESPAÇO PESARAM NA DECISÃO  

Americana foi escolhida porque tem uma sede própria, na Avenida Ângelo Pascote, no Loteamento Industrial Nossa Senhora de Fátima, nas proximidades da Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304). 

Segundo a diretora Angela Sampaio de Mara, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) fez um levantamento das perícias existentes no Estado e como estas se subdividiam. Uma das conclusões foi que havia acúmulo de tarefas na região enquanto houve diminuição nas perícias na divisa do Estado com Mato Grosso, por exemplo. 

A opção foi dividir o Núcleo de Campinas em dois. E Americana ficou com metade das seccionais antes atendidas exclusivamente na maior cidade da região metropolitana. 

Inicialmente, Piracicaba era uma forte candidata para sediar o núcleo, em virtude de já abrigar o Deinter 9 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior). 

“Porém como Americana portava um prédio, uma estrutura física melhor, nova, a secretaria resolveu investir em aparelhagem aqui em Americana”, informou a diretora. 

Além disso, o fato do terreno ser amplo e o prédio poder ser ampliado foi levado em conta também.

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This