Sexta, 26 Novembro 2021

Grupo que quer controle do futebol do Guarani faz proposta na Justiça

Grupo que quer controle do futebol do Guarani faz proposta na Justiça

O presidente do Guarani, Palmeron Mendes Filho, revelou ontem (14) que o grupo que concorre ao controle do departamento de futebol profissional, capit
O presidente do Guarani, Palmeron Mendes Filho, revelou ontem (14) que o grupo que concorre ao controle do departamento de futebol profissional, capitaneado pelo empresário Nenê Zini, protocolou a proposta diretamente na Justiça do Trabalho e encaminhou para a juíza Ana Cláudia Torres Viana, responsável por agilizar o pagamento das ações trabalhistas impetradas contra o Guarani.

"Até amanhã [hoje] à tarde a Junta Jurídica já terá duas propostas nas mãos, e a partir daí o passo é de viabilidade jurídica e parecer de Junta sobre as duas propostas", disse o presidente Palmeron Mendes Filho.

O dirigente assegurou que tal postura não vai acarretar em represálias ou prejuízo ao consórcio formado por Traffic e Elenko e que disputa o controle com a Magnum, de propriedade de Roberto Graziano, que por sentença judicial já tem posse do terreno em que se encontra o Estádio Brinco de Ouro.

Pelas propostas em disputa, Roberto Graziano quer ficar com 90% de tudo que for arrecadado pelo Guarani e que 10% sejam encaminhados ao clube. Já o consórcio liderado por Zini propõe 30% para o clube e 70% aos empresários que seriam mantenedores do futebol.

O empresário Nenê Zini confirmou que encaminhou a sua proposta à Justiça e também protocolou no clube. Sua intenção é criar um ambiente para reestabelecer critérios justos para análise da melhor proposta.

"O Guarani não criou um protocolo para estipulação de prazos, como por exemplo, a formulação de uma carta convite, como nos processos de licitação", disse Zini. "Como a Juíza já criou um grupo para acompanhar o processo, o ideal seria aproveitar e começar do zero", analisou.

Integrante da Junta Jurídica que analisa as propostas de cogestão, o advogado Marcelo Dias não viu com bons olhos a atitude do grupo capitaneado por Zini.

"O protocolo do contrato diretamente na justiça do trabalho apenas se presta a atrasar o processo. O magistrado responsável não fará qualquer avaliação antes de nosso parecer, de modo que isso apenas procrastina a solução do caso", afirmou.

Nos bastidores, o zagueiro Victor Ramos teve o seu contrato suspenso pelo Guarani. Ele alegou problemas particulares.

Na Copa São Paulo, o Guarani joga hoje (15), às 17h15, em São Carlos, contra o Botafogo (RJ), em jogo válido pelas oitavas de final da competição.

 
 
 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 27 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/