sábado, 25 maio 2024

Empresa Fugini foi liberada para fabricação de seus produtos pela Anvisa

Após ter sido suspendida a fabricação e comercialização de seus produtos no final do mês de março, a Anvisa revogou a resolução 

Foto: Divulgação

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) cancelou nesta segunda-feira (10), a resolução que suspendia a fabricação, comercialização, distribuição e uso de todos os produtos em estoque fabricados pela empresa Fugini.

Mesmo que tenha liberado, a Anvisa reteve a suspensão da fabricação dos produtos, principalmente os que contenham alimentos que causam alergias alimentares.

Após nova inspeção sanitária da empresa conduzida pelo CVS-SP (Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo) e pela Vigilância Sanitária Municipal, nos dias 03 e 05 deste mês, foi publicada a anulação no Diário Oficial da União nesta terça-feira (11).

A empresa Fugini admitiu o uso de corante vencido na maionese. Ainda de acordo com a empresa, “esse lote de produtos foi fabricado com adição do ingrediente urucum (agente natural para dar cor ao produto) que representa 0,003% da formulação que estava fora da sua data de validade”, parecer dado em março, quando foi suspensa.

A Anvisa avaliou as reformas no estabelecimento da Fugini e suas adequações nos procedimentos de maneira a cumprir com as determinações da vigilância sanitária. A empresa foi considerada apta para retomar a fabricação de seus produtos.

Vale relembrar, que em março deste ano, a Anvisa suspendeu a fabricação, comercialização, distribuição e uso dos produtos da marca Fugini. Conforme a Anvisa, na inspeção sanitária feita na fábrica foi identificado problemas graves relacionadas à controle de qualidade, higiene, e segurança das matérias-primas, controle de pragas, rastreamento, entre outros.

Exceto os lotes da maionese, onde foram encontrados problemas no último mês, não havia recomendação da Anvisa contra o consumo dos produtos da marca.

A Anvisa ordenou o recolhimento de todas as maionese da marca, com vencimento de janeiro, fevereiro e março de 2024. Esta proibição vale para todos os lotes a vencer em dezembro de 2023 com numeração iniciada por 354.

No site da empresa Fugini, tem uma carta de Esclarecimento ao Público, onde ela pede desculpas e informou que passou por um processo de auditoria em sua fábrica de Monte Alto interior de São Paulo, que gerou uma ordem para alteração de alguns processos. Ressaltou também que estão direcionando toda a energia para recuperar o tempo perdido e adaptar a fábrica às exigências do órgão fiscalizador 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também