PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Conselho de Defesa do Patrimônio aprova restauro da estação em Americana

Prédio histórico, inaugurado em 1875, poderá receber obras, com ressalvas, diz Condephaat

O Condephaat (Conselho Estadual de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) aprovou na última semana, com restrições, o projeto da Prefeitura de Americana para restaurar a estação ferroviária, inaugurada em 1875 na região Central. 

PUBLICIDADE

A obra foi anunciada em março do ano passado, em uma parceria entre o município e a empresa Rumo Logística, concessionária da linha férrea. A estação está atualmente interditada e cercada com tapumes desde maio de 2019. 

A reportagem questionou a prefeitura se as obras estavam em andamento ou se foram paralisadas para aguardar o aval do Condephaat, mas o secretário de Cultura, Fernando Giuliani, não retornou o contato feito por meio da assessoria de imprensa da Administração. 

PUBLICIDADE

O aval do Conselho, ligado à Secretaria de Cultura do Estado, é necessário porque a estação é tombada como patrimônio histórico. 

O colegiado impôs ressalvas e condições para que a autorização fosse emitida. Uma delas é que as plataformas de embarque e desembarque fiquem de fora do projeto. A outra é a remoção das esquadrias metálicas existentes na fachada principal e substituição por peças de mesmo desenho que as originais (existentes nas demais fachadas). 

PUBLICIDADE

O Conselho liberou, ainda, a instalação de dispositivos de segurança. Os conselheiros, no entanto, cobraram da prefeitura a apresentação de novas vias do projeto de restauração. 

Quando a estação foi fechada para a reforma, a prefeitura informou que a primeira fase de obras – estimada em R$ 800 mil – previa o alteamento do telhado, substituição de pilares em mau estado, pintura e complemento de calhas e telhas. 

IMÓVEL FOI INAUGURADO COM D. PEDRO II 

A estação ferroviária de Americana foi inaugurada em 27 de agosto de 1875, com o nome de “Estação Santa Bárbara” e a presença do então imperador D. Pedro II e sua comitiva Real. 

A presença constante de americanos sulistas, após a Guerra da Secessão nos EUA, em 1866, comercializando e embarcando seus principais produtos, como melancia e algodão, e o linguajar e vestimentas dos frequentadores, fizeram com que o local ficasse conhecido como “Estação de Villa dos Americanos”. 

Em 30 de julho de 1904 foi criada, por força de lei, a “Villa Americana”, que se chamou “Distrito de Paz de Santo Antonio de Villa Americana”. 

A Estação passou a ser chamada de “Estação de Villa Americana” quando, em 1900, o Capitão Corrêa Pacheco, em comum acordo com a Cia. Paulista, colocou uma placa ao lado do prédio com esta denominação. 

 

Por Walter Duarte

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This