PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Sindicato quer criar ‘táxi lotação’ em Americana

Ideia é aprovar lei municipal para oferecer corridas coletivas a preço fixo por passageiro

O Sindicato dos Taxistas de Americana pretende lançar, no início de 2019, um programa de “táxi lotação” para oferecer corridas coletivas a preços fixos por passageiro.

PUBLICIDADE

A tarifa deve ficar entre R$ 5 a R$ 6 para quem viaja dos bairros ao Centro ou a outros pontos de grande fluxo de pessoas, como o Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, escolas e faculdades. A cidade tem 119 taxistas regulamentados atualmente.

Porém, o serviço ainda precisaria ser normatizado pelo Poder Público, através de uma lei específica. Para isso, a categoria já se articula com um vereador da base de apoio ao governo Omar Najar na Câmara para apresentação da proposta em forma de Projeto de Lei.

PUBLICIDADE

A proposta é de que os taxistas circulem pela cidade, partindo de regiões onde há menos linhas de ônibus, e nos horários de intervalo entre eles. Praia dos Namorados, Zanaga, Parque das Nações, São Luiz e Mathiensen seriam os primeiros bairros atendidos pelo serviço.

Os interessados poderiam embarcar no veículo no início da corrida ou durante o trajeto, bastando estender a mão e sinalizar para o taxista.

PUBLICIDADE

Em princípio, os táxis fariam rotas diferentes daquelas já exploradas pelos ônibus urbanos, para que as viagens sejam mais rápidas.

Para Ezequias Pereira Carvalho, presidente do sindicato, a proposta poderia baratear o transporte de passageiros em Americana.

“A pessoa pode vir ao Centro em um veículo com ar condicionado, com conforto, e pagar uma tarifa acessível”, explicou.

O projeto é uma alternativa encontrada pelos taxistas para aumentar o faturamento e número de corridas, após perderem mercado para motoristas de aplicativos, como o UBER e 99. “Queremos fazer um sistema para ajudar os taxistas que estão praticamente parados nos seus pontos”, disse Carvalho.

A proposta chegou a ser testada durante a greve dos motoristas da VPT (Viação Princesa Tecelã), no início de novembro. “Quando faltou ônibus na cidade, conversamos com os taxistas para pegar pessoas nos pontos e ajudou bem. Muitos taxistas inclusive cobraram o preço da passagem mesmo”, declarou.

MOTORISTAS DE APLICATIVOS PROTESTAM

Um ano e quatro meses depois de sancionar a legislação municipal que autoriza e regula o funcionamento do Uber, 99 e outros aplicativos de transporte de passageiros por veículos particulares na cidade, a Prefeitura de Americana ainda estuda como viabilizar a aplicação da lei.

A informação foi dada ontem pela Utransv (Unidade de Transportes e Sistema Viário) após protesto de motoristas de aplicativo, na quarta, quando alguns fizeram uma passeata pela Avenida Brasil, utilizando cartazes com o lema “Mais segurança, menos multas”.

O protesto de quarta seguiu em direção à prefeitura, onde os condutores foram recebidos pelo comandante da Gama (Guarda Municipal de Americana), Marcos Guilherme.

Segundo a Utransv, a Administração analisa legislações semelhantes de outros municípios para uma solução da questão.

 

 

 

 

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This