domingo, 16 junho 2024

Sumaré e Hortolândia têm 7 casos confirmados de Covid-19 causados pela variante delta

São os primeiros casos da doença causados pela mutação genética do coronavírus na região, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde  

A variante delta é identificada através do sequenciamento genética do coronavírus feito em laboratório – Divulgação/Instituto Butantan

Sumaré e Hortolândia são as primeiras cidades da região a terem casos de Covid-19 causados pela nova variante delta. Os municípios aparecem na lista de 14 cidades da região de Campinas que têm 57 novos casos da variante confirmados oficialmente pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). A relação foi divulgada na tarde desta terça-feira (31), quando foi divulgada em Piracicaba a primeira morte causada pela delta no Estado de São Paulo.

O levantamento pela pasta foi feito a pedido da EPTV-Campinas. De acordo a SES, o maior número de casos da variante foi registrado em Hortolândia, seis no total. Em Sumaré, foi confirmado um paciente com a mutação do coronavírus. Veja outras cidades da região de Campinas em que a delta foi confirmada:

  • Campinas – 8
  • Holambra – 1
  • Itapira – 1
  • Jaguariúna – 19
  • Mogi Guaçu – 7
  • Mogi Mirim – 3
  • Monte Mor – 3
  • Pedreira – 1
  • Serra Negra – 1
  • Sumaré – 1
  • Valinhos – 1
  • Vinhedo – 1

A Secretaria Estadual de Saúde considera a residência do paciente para registro da variante. Não há informações se os casos são autóctones (contraídos no próprio município) ou importados de outras cidades. A delta preocupa as autoridades de saúde por ter maior poder de contaminação e se disseminar mais rapidamente.

Anteriormente, a variante delta já havia sido registrada em Itapira, Mogi Mirim e Valinhos. A SSE destaca que não há intensificação da transmissão da Covid-19 nos municípios onde os casos foram confirmados, mas reflete um novo panorama na classificação genética. Os dados são até o dia 25 de agosto.

De acordo com o governo de São Paulo, o estado tem 764 casos da delta no total, sendo que 17 pessoas foram infectadas em outros estado. A identificação ocorre via sequenciamento genético. Segundo a Secretarial Estadual de Saúde, a forma de enfrentamento à nova mutação é manter os protocolos de segurança – como uso de máscara, higienização das mãos com álcool ou água e sabão, distanciamento social – e acelerar a vacinação.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também