O fim de uma era: CR7 na Juve

Astro português é comprado pela equipe italiana por € 100 milhões e deixa o Real Madrid depois de nove anos

0 14

FOLHAPRESS | SÃO PAULO 

O craque português Cristiano Ronaldo é o novo reforço da Juventus (ITA). A saída do Real Madrid (ESP) e o acerto com os italianos por quatro temporadas foi anunciado por ambos os clubes ontem.

“O Real Madrid comunica que, atendendo à vontade e ao pedido expressados pelo jogador Cristiano Ronaldo, acordou sua transferência à Juventus. O Real Madrid será sempre sua casa”, diz o texto publicado pelos espanhóis em seu site.

A Juventus afirmou, por meio de nota, que pagará € 100 milhões (R$ 448 milhões) ao Real Madrid no período de dois anos. Há ainda o valor destinado ao mecanismo de solidariedade previsto pela Fifa e outros encargos, que somam € 12 milhões (R$ 53,7 milhões).

Ronaldo conquistou 16 títulos com a camisa do Real desde que chegou a Madri, em 2009: quatro Ligas dos Campeões (três delas seguidas), três Mundiais Interclubes, dois Campeonatos Espanhóis, duas Copas do Rei, duas Supercopas Espanholas e três Supercopas Europeias.

Tornou-se também o maior artilheiro da história do clube, com 450 gols em 438 jogos.

Nos anos em que defendeu o time espanhol, foi eleito quatro vezes o melhor jogador do mundo, que se somam à outra Bola de Ouro conquistada pelo português, em 2008, ainda defendendo o Manchester United (ING).

Cristiano Ronaldo passa férias na Grécia depois de ter sido eliminado da Copa do Mundo da Rússia com a seleção de Portugal.

LIGA DOS CAMPEÕES
Heptacampeã italiana, a Juventus vê na contratação de Cristiano Ronaldo um avanço importante no projeto do clube de conquistar novamente a Liga dos Campeões, que não vence desde 1996.

Dominante no cenário nacional, a equipe italiana vem batendo na trave nas últimas temporadas quando o assunto é a glória europeia. Foi vice-campeã da Liga dos Campeões em 2015, contra o Barcelona, e em 2017, justamente diante do Real Madrid de Ronaldo.

O português, inclusive, tem a Juventus como sua vítima favorita no campeonato europeu. De seus 105 gols na competição, 10 foram sobre os italianos, sua melhor marca contra qualquer oponente no torneio.

Na última edição da Liga dos Campeões, Real Madrid e Juventus se enfrentaram pelas quartas de final.

No jogo de ida, os espanhóis venceram por 3 a 0 e Cristiano Ronaldo marcou um golaço de bicicleta. “Seguramente é meu melhor gol”, disse o então camisa 7 do Real após a partida.

O português foi aplaudido de pé pela torcida da equipe de Turim, que agora terá o craque defendendo a sua camisa.
Contudo, apesar da admiração dos torcedores de sua nova casa, o português já enfrenta o primeiro foco de resistência na sua ida à Itália.

Trabalhadores da montadora de automóveis Fiat, que pertence aos donos da Juventus, são contra a chegada de Ronaldo ao clube.

“É uma vergonha. Há dez anos que os operários da Fiat não têm aumentos no salário-base e, além disso, há problemas nas fábricas. Em Pomigliano, por exemplo, só trabalhamos 11 ou 12 dias por mês. Com o que vão gastar em Ronaldo, podiam aumentar cada trabalhador em 200 euros”, declarou Gerardo Giannone, há 18 anos na Fiat, em entrevista à agência italiana de notícias DIRE.

A CARTA DE CRISTIANO RONALDO PARA OS TORCEDORES

“Esses anos no Real Madrid, e na cidade de Madri, foram possivelmente os mais felizes da minha vida.
Tenho apenas sentimentos de enorme agradecimento a esse clube, a essa torcida e a essa cidade. Só posso agradecer a todos pelo carinho e afeto que recebi.

No entanto, acredito que chegou o momento de começar uma nova etapa na minha vida e, por isso, pedi ao clube para aceitar vender-me. Sinto-me assim e peço a todos, especialmente aos nossos torcedores, que, por favor, me entendam.

Foram nove anos absolutamente maravilhosos. Foram nove anos únicos. Foi para mim um período emocionante, repleto de considerações, mas também duro, pois o Real Madrid é um time de altíssima exigência, mas sei muito bem que jamais esquecerei que aqui desfrutei do futebol de uma maneira única.

Tive nos gramados e no vestiário companheiros fabulosos, senti o calor de uma torcida incrível e juntos conquistamos três Ligas dos Campeões seguidas e quatro Ligas dos Campeões em cinco anos. E junto a eles e aos demais, individualmente, tive a satisfação de ter vencido quatro Bolas de Ouro e três Chuteiras de Ouro.

O Real Madrid conquistou meu coração, o da minha família, e, por isso, mais do que nunca quero agradecer: obrigado ao clube, ao presidente, aos dirigentes, aos meus companheiros, a todos os técnicos, médicos, fisioterapeutas e funcionários incríveis que fazem com que tudo funcione e que cuidam de cada detalhe incansavelmente.

Obrigado mais uma vez aos nossos torcedores e obrigado também ao futebol espanhol. Durante estes nove anos apaixonantes, enfrentei jogadores grandiosos. Meu respeito e reconhecimento a todos eles.

Refleti muito e sei que chegou o momento de um novo ciclo. Vou-me, mas esta camisa, este escudo e o Santiago Bernabéu seguirei sempre sentindo como algo meu de onde eu estiver.

Obrigado a todos e, claro, como disse aqui pela primeira vez em nosso estádio há nove anos: Hala Madrid!”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.