PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Processo contra ex-bispo de Limeira é encerrado no Vaticano, mas continua na justiça

A renúncia de Dom Vilson enviada ao Papa Francisco cessou o ‘problema’ na área da Ireja, afirmou aos jornalistas Dom Orlando Brandes, novo administrador apostólico da Diocese de Limeira

Dom Vilson Dias de Oliveira, 60, não é mais o bispo da Diocese de Limeira – responsável por 16 cidades, entre as quais Americana. Ele renunciou ao cargo que foi aceito pelo Papa Francisco. Com isso, o processo de investigação da Igreja Católica contra ele, que chegou ao Vaticano em abril, está encerrado.

PUBLICIDADE

Essa informação foi confirmada durante coletiva de imprensa realizada ontem (17), na Catedral Nossa Senhora das Dores, em Limeira, pelo novo administrador apostólico da Diocese, Dom Orlando Brandes, que é arcebispo de Aparecida (SP), nomeado pelo Papa assim que aceitou a renúncia de Dom Vilson.

“Com a renúncia dele, cessa o problema. Na área da Igreja está resolvido, foi o máximo que ele pôde fazer”, explicou o novo administrador apostólico. “Se houver algo mais grave que venha a prejudicar o ministério dele, aí teremos que comunicar novamente à Nunciatura (representante do Vaticano no Brasil). Mas ela viu que não precisa de outra investigação”, explicou.

PUBLICIDADE

Além de Dom Orlando, participaram da coletiva o Vigário Geral Padre Júlio Barbado, e o arcebispo de Campinas, Dom João Inácio de Carvalho, representando o Vaticano.

Dom João, ainda como responsável pela Diocese de Lorena, foi quem apurou as denúncias durante o procedimento canônico contra Dom Vilson e também contra o padre Pedro Leandro.

PUBLICIDADE

Dom Orlando pretende conversar com Dom João. “Vou ouvir o visitador que esteve aqui e as partes envolvidas nesse problema e conversar com os setores, promover uma reunião geral com todos da Diocese para poder desenvolver melhor o meu trabalho”, adiantou o administrador, dizendo que irá trabalhar pela unidade e diálogo da Igreja. “Vamos rezar muito para acolhimento e vinda de novo bispo para a diocese”, concluiu.

OFICIAL

Essa foi a primeira vez que a Diocese de Limeira e o Vaticano se pronunciaram oficialmente sobre o escândalo envolvendo o bispo, agora emérito (ele não tem mais nenhuma responsabilidade e poderes na Diocese e nunca mais poderá exercer o ministério episcopal).

Entre as avalanches de denúncias Dom Vilson é acusado de extorsão, enriquecimento ilícito e de acobertar supostos abusos sexuais contra menores, que teriam sido cometidos pelo padre Pedro Leandro Ricardo, ex-reitor da Basílica Santo Antônio de Pádua, de Americana (que está afastado de suas funções até a conclusão das investigações).

No âmbito civil, o inquérito aberto pela Polícia Civil de Limeira, que corre em segredo, já foi concluído e entregue à Justiça e ao Ministério Público. Outros inquéritos seguem em andamento em Americana e Araras.

BISPO EMÉRITO

Segundo Dom Orlando, o bispo emérito já deixou Limeira (ele não participou da coletiva). Segundo informações, Dom Vilson, em companhia da mãe, foi para sua cidade natal Guaíra (SP), que fica na região de Barretos (SP).

“Ele precisa descansar um pouco, porque passou por um desgaste muito grande, para depois decidir que trabalhos ele poderá fazer na Igreja”, afirmou Dom Orlando.

De acordo com o novo administrador apostólico de Limeira, Dom Vilson poderá presidir cerimônias de sacramento da crisma e rezar missas daqui para frente, desde que convidado por algum bispo.

O religioso vai ter um salário, tipo ajuda de custo, cujo valor deverá ser decidido ainda pelo Conselho de Presbíteros. Como bispo à frente da Diocese de Limeira ele recebia em torno de R$ 12 mil, segundo informações da Igreja.

 

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This