Domingo, 28 Novembro 2021

Petrúcio é ouro nos 100m com melhor tempo da história das Paralimpíadas

Petrúcio é ouro nos 100m com melhor tempo da história das Paralimpíadas

Petrúcio Ferreira dos Santos quebrou o seu próprio recorde da prova com o tempo de 10s53; Brasil ficou ainda em terceiro lugar na prova com Washington Júnior

Petrúcio Ferreira dos Santos quebrou em Tóquio o próprio recorde - Alê Cabral/CPB

Petrucio Ferreira dos Santos conquistou na manhã desta quinta-feira (27) o ouro nos 100 metros rasos nas Paralimpíadas de Tóquio e se tornou bicampeão, repetindo o feito obtido no Rio de Janeiro, em 2016, na classe T46/47 (para atletas com deficiências nos membros superiores), mas agora de modo mais especial. O tempo de 10s53 o fez melhorar o seu recorde da prova nos Jogos Paralímpicos, que era de 10s57. Além disso, ele já era o recordista mundial da prova, com 10s42.

Além da vitória do velocista, o Brasil já ganhou na noite desta quinta e madrugada de hoje outras medalhas no atletismo e também nas provas de natação.Petrúcio, bicampeão paraolímpico, não teve uma grande largada, mas conseguiu assumir a liderança nos metros finais. Depois, dedicou a vitória ao técnico Pedrinho Almeida.

"Eu tive uma pequena DR com meu treinador, perguntei se ele confiava em mim. E dedico essa vitória a ele, que está comigo desde 2014 e pediu para eu correr com a cabeça", disse, em entrevista ao SporTV, o paraibano de São José do Brejo da Cruz.

O pódio dos 100 metros também teve a presença de outro brasileiro, com Washington Junior em terceiro lugar. Ele fez ótima largada, liderou o início da prova e se esforçou muito, mas acabou sendo superado por dois adversários. Ainda assim, garantiu um lugar no pódio e terminou com o tempo de 10s68.

O polonês Michal Derus ficou com a prata com a marca de 10s61. O brasileiro Lucas Lima, que também disputou a final, ficou em sexto lugar com o tempo de 11s14.

Carreira

Petrucio acumula grandes resultados na carreira. Nas Paralimpíadas do Rio de Janeiro, o brasileiro faturou três medalhas, uma de ouro nos 100m, uma de prata nos 400m e outra de prata no revezamento 4x100 metros.

Com tantos feitos, foi o porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura das Paralimpíadas de Tóquio. Agora, viveu mais um momento histórico no Japão.

Em 2019 no Mundial de Dubai, ele faturou ouro nos 100m e 400m. No Parapan de Lima, o atleta conquistou o ouro nos 100m e a prata nos 400m. Além disso, é o atual recordista mundial nos 100m e 200m.

Paraibano de São José do Brejo da Cruz, Petrúcio dedicou a medalha de ouro ao técnico – Alê Cabral/CPB
 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 28 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/