Sexta, 22 Outubro 2021

No Twitter, Bolsonaro e ministros ironizam tamanho de atos pelo impeachment

No Twitter, Bolsonaro e ministros ironizam tamanho de atos pelo impeachment

A palavra "fiasco" entrou nos trending topics da rede social  

Presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter para ironizar as manifestações do MBL - Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ministros do governo e parlamentares bolsonaristas ironizaram as manifestações realizadas neste domingo (12) pedindo o impeachment do presidente. Convocados pelo MBL (Movimento pelo Brasil Livre) e pelo Vem pra Rua, os atos estão acontecendo em várias capitais, mas sem adesão de organizações e partidos de esquerda.  

A palavra "fiasco" entrou nos trending topics da rede social. "Mandetta, pode ir para a manifestação que o distanciamento social está sendo 'totalmente respeitado' em todas as manifestações hoje", escreveu o ministro das Comunicações, Fábio Faria, em referência ao ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Mais tarde, Faria fez novo comentário, dizendo que as manifestações eram um "fato histórico" por ter mais pessoas no palanque do que na rua. "Manifestações impressionantes e inéditas: pela primeira vez, o palanque estava mais cheio do que a rua. Fato histórico", afirmou.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, publicou um vídeo em que ri das imagens das manifestações.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, compartilhou o post de Fábio Faria e escreveu "chora esquerda!".

"Resumo da manifestação hoje na Paulista: meia dúzia de gatos pingados", escreveu o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles.

Parlamentares também fizeram publicações sobre o assunto. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), um dos filhos do presidente, compartilhou imagens de Brasília, afirmando que "quase metade [das pessoas] é de policiais fazendo segurança".

 A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados, disse que a Praia de Copacabana, onde ocorreu a manifestação no Rio de Janeiro, estava "mais vazia do que em um domingo qualquer de sol".

O deputado federal Major Vítor Hugo (PSL-GO), líder do PSL na Câmara dos Deputados, afirmou que os atos "deixaram o domingo mais engraçado".

Neste final de semana, apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também usaram o Twitter para desencorajar a ida de manifestantes de esquerda aos atos. Inicialmente, o movimento convocado pelo MBL e pelo Vem pra Rua tinha o mote "Nem Bolsonaro, nem Lula", o que afastou lideranças partidárias e movimentos sociais ligados à esquerda.

Apoiadores de Lula também lembraram que as duas organizações participaram da mobilização pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT). Durante a semana, o representantes do MBL afirmaram que esperavam a adesão de lideranças de outros espectros ideológicos às manifestações, principalmente por causa dos atos golpistas promovidos por bolsonaristas no 7 de Setembro.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 22 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/