Sábado, 27 Novembro 2021

Família de brasileiro é resgatada de Cabul; segundo grupo ainda aguarda

Família de brasileiro é resgatada de Cabul; segundo grupo ainda aguarda

Esperança do governo brasileiro eram os voos humanitários de governos europeus, mas muitos países anunciaram o fim das operações  

Milhares de pessoas tentam deixar o Afeganistão após a tomada do poder pelo Talibã – Reprodução/Twitter

Uma família brasileira que havia solicitado resgate do governo federal para deixar Cabul, no Afeganistão, conseguiu embarcar num voo para a Espanha e, de lá, seguirá para o Brasil. Uma segunda família ainda aguarda para ser retirada do local, enquanto governos europeus anunciam o fim de suas operações de evacuação e o prazo para a retirada das tropas estrangeiras se aproxima, no dia 31 de agosto.

A identidade das famílias não foi revelada. O Itamaraty tinha enviado telegramas solicitando a ajuda de governos europeus para conseguir evacuar brasileiros que ainda se encontram no Afeganistão.

A esperança do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) era que os brasileiros conseguissem embarcar em algum dos voos humanitários organizados por países europeus para retirar seus cidadãos do Afeganistão.

A situação ficou ainda mais tensa com os atentados terroristas de ontem nas proximidades do aeroporto de Cabul. Nesta sexta-feira (27), a ONU (Organização das Nações Unidas) condenou os ataques e pediu que os responsáveis sejam levados à Justiça.

"O ataque terrorista de ontem no aeroporto de Cabul foi uma ação horrenda da ISIL-Khorasan", declarou na manhã desta sexta-feira o porta-voz da ONU para Direitos Humanos, Rupert Colville.

Já na semana passada, três brasileiros naturalizados no Afeganistão tinham solicitado ao governo ajuda para serem evacuados. Trata-se de afegãos que, por diferentes motivos, obtiveram a nacionalidade brasileira.

Um dos desafios, porém, é que essas pessoas pediram que o governo brasileiro também retire do país seus familiares, que não contam com a nacionalidade brasileira. No total, portanto, seriam 14 pessoas solicitando essa ajuda.

Sem uma embaixada em Cabul, o governo brasileiro atua a partir de Islamabad, capital do Paquistão. Um dos desafios é encontrar vaga para essas pessoas, faltando poucos dias para o fim da presença militar americana no Afeganistão.

Diversos países europeus já indicaram que estão concluindo a retirada de seus nacionais. Bélgica e Dinamarca completaram a evacuação, enquanto a França anunciou nesta quinta-feira que não conseguirá continuar com o plano de retirada depois de sexta-feira. Já a Holanda declarou que está interrompendo a operação para repatriar seus nacionais.

Há ainda o caso de um brasileiro que entrou em contato com a embaixada do Brasil no Paquistão, solicitando ajuda. Mas, desde seu primeiro contato, não mais voltou a solicitar uma evacuação e sequer foi encontrado.

No total, as potências estrangeiras já retiraram do Afeganistão cerca de 100 mil pessoas. Além de americanos, britânicos, franceses e funcionários de outras nacionalidades, milhares de afegãos que trabalhavam para esses governos também foram beneficiados por uma operação de evacuação.

O temor de muitos deles é de que fossem alvo de retaliações por parte do Talibã, por terem servido às autoridades americanas ou europeias. O grupo fundamentalista garantiu que não haveria revanche. Mas relatos recebidos pela ONU indicam que o Talibã cometeu crimes de guerra e crimes contra a humanidade, em seu avanço até Cabul.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 27 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/